LogoColors

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos. Hubs de Inovação servem para propormos respostas a problemas complexos, pensar em novas ideias, e até mesmo colocar algumas novas tecnologias em prática. Existem muitos tipos de hubs de inovação com essa proposta, mas podemos pensar em um espaço de conexão que promove a inovação.

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos

 

 

Neste artigo, você vai ver:

  • O que é um Hub de Inovação
  • Agentes do Ecossistema de Inovação
  • Tipos de Hub de Inovação
  • Características de um Hub de Inovação
  • Como Hubs de Inovação ajudam os negócios
  • Vantagens de um Hub de Inovação
  • Como aplicar Inovação Aberta no seu negócio
  • Como funciona um Hub de Inovação
  • Projeto de Hub de Inovação
  • Como criar um Hub de Inovação
  • Hubs de Inovação no Mundo
  • Hubs de Inovação na Europa
  • Hubs de Inovação na Ásia
  • Hubs de Inovação na América Latina
  • O que permite tornar as cidades mais inovadoras
  • Conclusão sobre Hubs de Inovação

 

O que é um Hub de Inovação

Hub de Inovação é um local que estimula a interação entre diferentes players para o surgimento destas ideias inovadoras e ainda proporciona às startups um ambiente onde possam trabalhar e ter acesso a contatos, investidores, mentores e fornecedores.

Em uma analogia bem mais simples, podemos imaginar um hub de inovação como um grande shopping no qual as lojas são as startups e os clientes são investidores que estão buscando soluções para problemas em seus negócios.

Hubs de Inovação fazem parte dos Ambientes de Inovação. Sendo mais específicos ainda, os Hubs integram os Mecanismos de Geração de Empreendimentos que possuem como objetivo estimular o surgimento de empresas inovadoras, bem como preparar as startups para sua consolidação e crescimento no mercado.

 

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos
Fonte: Audy e Piqué (2016) – Anprotech

 

Agentes do Ecossistemas de Inovação

A imagem abaixo que apresentamos abaixo foi teorizada pela primeira vez por Henry Etzkowitz e Loet Leydesdorff na década de 1990 com a publicação “A Hélice Tríplice, Relações Universidade-Indústria-Governo: Um Laboratório para o Desenvolvimento Econômico Baseado no Conhecimento”.

Hubs prosperaram com a soma dos seguintes fatores:

talento + novas ideias + capital.

No centro, colocamos o Hub de Inovação para promover o encontro destes três agentes:

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos

 

Aqui, fizemos uma releitura dos agentes dentro do ecossistema de inovação levando em conta também os investidores de capital de risco e os próprios empreendedores.

Hubs de Inovação: O que são, como funcionam e tipos

 

Tipos de Hubs de Inovação

Os hubs de inovação podem ser constituídos de diversas maneiras. Atualmente, enquanto uma das práticas de Inovação Aberta, grandes empresas estão montando seus próprios Hubs de inovação para investir em startups com propostas que vão de encontro às necessidades do negócio. Este, por exemplo, é o caso do InovaBRA, o hub de inovação corporativo do Banco Bradesco. O inovaBra não limita as suas startups àquelas clusterizadas em fintechs, mas aceitam todas aquelas cujas soluções sejam de interesse da Instituição. Outro exemplo de Hub Corporativo é Garagem Cielo que pertence à empresa de pagamentos CIELO.

Além dos Hubs Corporativos, temos ainda os Hubs Independentes como a Distrito ou a Liga Ventures que conecta o seu ecossistema de startups residentes à grandes Venture Capitals do Brasil. Somente a Liga Ventures possui mais de 25 mil startups cadastradas no seu banco de dados.

Os Hubs Públicos brasileiros nasceram do movimento de associações empresariais como é o caso da Associação Catarinense de Tecnologia, a ACATE. Como veremos mais à frente nos Hubs de Inovação pelo Mundo, na Europa e na China os Hubs Públicos são bem mais comuns do que os formatos que conhecemos no Brasil e nos Estados Unidos.

Desta forma, podemos separar os hubs de inovação em 3 categorias:

  1. Hubs Independentes
  2. Hubs Corporativos
  3. Hubs Públicos

 

Características de um Hub de Inovação

  • É um espaço físico e/ou virtual Local de desenvolvimento de Startups.
  • Ferramentas e recursos para suporte e aceleração de Startups.
  • É uma representação da sua região de atuação.
  • Conecta os diferentes agentes do ecossistema de inovação da região.
  • Funciona como uma vitrine para as empresas e os investidores.

 

Como Hubs de Inovação ajudam os negócios

Para os líderes e CEOs esta resposta é fácil: a maior parte da inovação acontecerá fora da sua empresa. Mais do que isso: a inovação poderá vir de um setor não relacionado ao seu. Contamos o exemplo da história da Enciclopédia Brittanica que passou por uma profunda Transformação Digital no seu modelo negócios e esteve ameaçada pela Microsoft – uma empresa de softwares de computador e não diretamente ligada ao setor do conhecimento acadêmico. A Transformação Digital acaba sendo forçada pela disurpção nos setores.

Portanto, é preciso se conectar a esses Hubs de Inovação tendo clareza nas prioridades do seu negócio – como é o caso do InovaBRA que já citamos acima. As empresas mais inovadoras do mundo como a Google possuem seu próprio espaço de criação que é o Google para Startups. Logo, é evidente o sucesso na conexão de novas ideias e empresas.

 

Vantagens de um Hub de Inovação

Hubs de Inovação provocam mudanças em todo o seu ecossistema e são muitas as vantagens da sua presença.

Listamos algumas abaixo:

  • Melhoram a percepção das marcas.
  • Estimulam a cocriação e a coopetição entre empreendedores
  • Resolvem os desafios mais complexos dos negócios.
  • Aceleram estratégias de médio e longo prazo.
  • Engajam o ecossistema das empresas.
  • Atração e retenção de talentos.
  • Promovem mudanças no mindset cultural e na mentalidade empreendedora.
  • Engajam a comunidade como um todo.
  • Aceleram a adoção de novas tecnologias.
  • Aceleram os investimentos.
  • Aumento na quantidade e na qualidade de patentes..
  • Crescimento das rendas médias das cidades que abrigam Hubs de Inovação.
  • Aumentam o número de empregos.
  • Apresentam maior presença de jovens nas universidades.

 

Hub de Inovação

 

Como aplicar Inovação Aberta no seu negócio

Primeiramente, vá de encontro às startups, aos empreendedores disruptivos e às tecnologias que tenham fit com as suas necessidades de inovação do seu setor. Encontre plataformas e espaços que publicitem suas necessidades e conectem essas startups com o seu portfólio de desafios. Os Hubs de Inovação são o local para encontrar essas pessoas e suas soluções.

Outra prática comum dentro dos hubs são os eventos oferecidos. Os grandes hubs de Inovação sempre oferecem eventos para pitch e meetups com profissionais da indústria. Esta é a grande chance dos líderes e CEOs verem de perto o que está acontecendo de novidade em termos de tecnologia e estratégias e terem a chance de trazer este movimento para dentro das suas organizações e até mesmo pivotar algum dos seus processos.

 

 

Em tempo, é possível que a sua empresa ofereça uma vivência para os colaboradores da startups testarem seus protótipos dentro de um ambiente real com desafios concretos. Esta relação próxima ainda eleva o poder da sua marca, encorajando as pessoas a irem ao seu encontro com ideias inspiradoras, além de reduzir a dificuldade na retenção de talentos.

A relação próxima entre empresários e startups geram um ambiente onde todos saem ganhando.

 

Como Funciona um Hub de Inovação

Como falamos anteriormente, os Hubs de Inovação são como um shopping de inovação em que os clientes são os investidores sempre atrás do seu próximo unicórnio.

Os Hubs podem ser uma plataforma online que conectem startups, empresas e investidores, mas boa parte da dinâmica acontece através do espaço de trabalho colaborativo, eventos, workshops e uma série de outras atividades que possam integrar esse ecossistema.

Separamos algumas propostas de atividades e eventos promovidos pelos Hubs no Brasil para que você possam entender como funciona um Hub de Inovação.

 

Plataformas

Ambientes físico e virtual para conectar os atores do ecossistema. é possível criar ferramentas e repositórios digitais que facilitem a conexão entre os players mesmo que eles não estejam na minha cidade.

 

Clusterização

A clusterização fortalaece os Hubs permitindo que empreendedores similares possam compartilhar recursos e ideias além da concentração de investimentos.

 

Eventos

Boas oportunidades surgem quando as pessoas estão confraternizando. É comum que hubs de inovação utilizem o espaço para realizar festas que inclusive ficam abertas ao público que não faz parte do Hub.

 

Pitches

Os pitchs são super importantes no ambiente dos Hubs. Eles acontecem com frequência e são o principal instrumento de conexão entre investidores e startups. É possível deixar o momento do pitch mais leve usando estratégias como o Pitch n’Pizza promovido pela Liga Ventures.

 

Palestras e Workshops

As palestras e os workshops ajudam os empreendedores a aumentarem seu conhecimento e aprenderem novas skills que farão total diferença na jornada empreendedora.

 

Encontro com experts

Nada como ouvir os relatos e observar a experiência de CEOs para seguir na jornada de empreendedor, inclusive captando insights poderosas de quem já chegou lá.

 

Rede de parceiros.

As startups em fase inicial precisam de muitos braços para conseguirem escalar seus negócios. Oferecer uma rede de profissionais diversa para dar apoio é muito importante. Alguns Hubs como o inoBRA oferecem uma vasta de lista de parceiros nas áreas de captação, finanças, RH, Ideação, Jurídico e Estratégia para dar aquela força para quem precisa focar no próprio negócio.

 

Projeto Hub de Inovação

Os Hubs de Inovação devem funcionar como locais de experiência e vivências, removendo os entraves à criação de ideias e transformá-las em soluções reais e de impacto positivo para os negócios e a sociedade. Os hubs podem ainda unir pessoas com os mesmos interesses e com os mesmos objetivos. Os hubs promovem o networking e o senso de comunidade, atraindo um grupo diverso de pessoas.

Os hubs podem promover um verdadeiro efeito de transbordamento (spillover effect), ultrapassando as barreiras físicos do espaço em si e permitindo que as pessoas se encontrem nos seus arredores e fomentem cada vez mais suas ideias e acelerem seus processos de crescimento.

É primordial entendermos que hubs de inovação devem funcionar como uma estrutura segura e prática de trabalho. O processo de criação não pode ser algo não-estruturado e o Hub surge para suprir essa relação da criação com o espaço físico.

 

Como criar de um Hub de Inovação

Defina um objetivo. A melhor maneira de começar um hub – ou até mesmo se integrar a um – é focar seus esforços em um objetivo comum. Ter um objetivo em mente ajuda no processo criativo e une as pessoas com as mesmas necessidades e desejos.

Defina as métricas para avaliar o sucesso do seu Hub. É preciso ter indicadores que determinem que que o seu Hub tem tido sucesso nas suas práticas. Além disso, experimente também alinhar suas métricas com os objetivos do Hub.

Invista em Diversidade. A diversidade é extremamente importante para as soluções tanto estratégicas quanto tecnológicos para garantir que esta solução alcance um número maior de pessoas. Como tal, tente alcançar o maior número possível de pessoas com os maios variados backgrounds. Isto irá ajudar a exponenciar as ideias, tanto na quantidade quanto na qualidade.

Lembre-se que as melhores ideias nem sempre vem de onde esperamos. Os Hubs de inovação são espaços de livre pensamento onde nenhuma ideia é absurda demais ou impossível. Os Hubs de Inovação ainda possuem uma cultura muito forte de tolerância ao erro.

Projeto Hub de Inovação

 

 

Hubs de Inovação no Mundo

Muitos são os Hubs de Inovação espalhados pelo mundo. Cada um possui seu próprio ecossistema e desenvolvimentos diferentes. Vamos conhecer as particularidades de cada Ecossistema de Inovação navegando por entre os continentes e observando o que há de mais interessante em cada Hub de Inovação. Por enquanto, vamos apresentar os Hubs de Inovação na Europa, na Ásia e na América Latina.

*Vamos atualizar o post com outros exemplos também da África, Oceania e América do Norte em breve!)

 

Hubs de Inovação na Europa

Os Hubs de Inovação na Europa possuem suas próprias características. É possível observar uma maior presença do Estado e forte investimento na relação de parceria com a China, incluindo a presença de escritórios dos Hubs em cidades chineses. Pela estrutura dos Hubs de Inovação na Europa, vemos ainda um investimento maciço no Branding dos países como forma de atração de talentos e mão de obra altamente qualificada.

Além disto, a malha empresarial européia é majoritariamente formado por PMEs. Neste sentido, as ações são voltadas para este grupo de pequenas e médias empresas. A Alemanha é um destes cases relevantes: O sucesso dos negócios alemães é impulsionado pelas PMEs. A esse conjunto pertencem mais de 99% de todas as empresas da Alemanha. As PMEs, também conhecidas como Mittelstand, respondem por mais da metade da produção econômica daquele país, geram quase 60% dos empregos e são o mais forte impulsionador de inovação e tecnologia do país.

Vamos conhecer alguns desses Hubs de Inovação na Europa.

 

Associação Porto Digital

Imagem: Divulgação.
  • Localizada na cidade do Porto, Portugal.
  • Foco em projetos de Smart Cities, com destaque para startups de Construtechs.
  • Aplicam Inovação “dentro de portas” e Inovação “fora de portas”.
  • Aplicam muitos Workshops de Design Thinking e desenvolvimento de novos negócios.
  • Recentemente, foi anunciado o lançamento de um grande Parque Tecnológico na cidade de Vila Nova de Gaia que é colada à cidade do Porto.

 

Huckletree

  • Estão presentes em várias localidades com duas unidades na Inglaterra (Londres e Manchester) e uma na República da Irlanda (Dublin).
  • Atuam como aceleradora de projetos.
  • Já ofereceram mais de 1500 eventos e realizam cerca de 300 workshops no ano.
  • Criaram dois cursos de empreendedorismo nos últimos anos.

 

Plexal

Imagem: Divulgação.
  • Está localizado em Londres, Inglaterra.
  • Este é o Maior Hub da Europa com 11 hectares de espaço.
  • Abriga 800 startups.
  • Realizam provas de conceito em parceria com a IBM.
  • Atualmente, possuem foco em startups de Cyber Security.

 

O Plexal é um capítulo à parte em termos de tamanho e projetos criados em parceria com o Governo Britânico. Entre os projetos e iniciativas de destaque que estão abrigados no Plexal, podemos mencionar:

  • Telecom Challenge – apoio a PMEs no contexto das Telecoms.
  • Secure Connected Transport Challenge – para desenvolvimento de veículos autônomos.
  • NCSC For Startups – parceria com o NCSC para trabalhar com startups de Cybersegurança.
  • NCSC Investor Forum – acesso exclusivo a insights das startups de Cybersegurança.
  • Innovate Oman – desenvolvem hackathons, workshops, mentorias e programas de aceleração com algumas Big Techs.
  • Cyber Runway – growthacking para empresários, startups e PMEs.
  • LORCA – desenvolvimento de cybersegurança para atender demandas do governo.
  • Inclusion – Acelerar setor de tecnologia assistiva.
  • London RoadLab – programa de soluções de mobilidade urbana.
  • London FreightLab – networking entre parceiros do Transport for London para colaborar na melhoria do transporte londrino.
  • Accessible Instruments Challenge – Parceria com o Arts Council England para facilitar o acesso a instrumentos musicais e aprendizado da música para pessoas com algum tipo de deficiência.

 

betahaus

  • Está presente nas cidades de Berlim e Hamburg, na Alemanha, Barcelona na Espanha e Sofia, na Bulgária.
  • Oferecem eventos e workshops híbridos – online e presencial.
  • Desenvolveram um aplicativo próprio para coordenar equipes de maneira remota. o One Co.
  • Realiza competições entre as Starups. É o betapitch.
  • Realizam Expert Sessions com temas que envolvam tudo relacionado a business.

 

Sillicon Alle

Imagem: Divulgação.
  • Localizado em Berlim, na Alemanha.
  • Começou como um encontro mensal para startups.
  • Possui 2,5 milhões de euros em fundos para startups.
  • Possuem apartamentos para aluguel dentro do Hub.
  • A Stripe , fintech que processa os pagamentos da Google, Amazon e da Uber já foi uma das startup residentes da casa. Atualmente o valuation da Stripe é de $95 bilhões.

 

Station F

Imagem: Divulgação.
  • Maior campus de Startup em Paris, na França.
  • Possui 1000 startups na casa.
  • Desenvolveu a plataforma Launch, totalmente online.
  • Possui programas específicos para pessoas com baixa renda e mulheres.
  • Desenvolvem programas de aprendizado e aceleração personalizados para as startups.

 

Epicenter

Imagem: Divulgação.
  • Está localizado em três cidades da Suécia.
  • As empresas Spotify, iZettle e Klarna nasceram na epicenter.
  • Oferecem live marketing como serviço do hub para lançamento de startups.
  • Foi o primeiro hub na Escandinávia.

 

Startup Estonia

  • Localizado na Estônia.
  • Nasceu de investimento público.
  • AE stônia é um dos países mais digitalizados do mundo e é o benchmark para a Comissão da União Europeia na sua agenda para a Década Digital da UE.
  • Incubou startups como Wise e Bolt.
  • Foco em CyberTech, EdTech e desenvolvimento na região de Ida-Viru.

 

 

Hubs de Inovação na Ásia

Os Hubs de Inovação na Ásia são verdadeiros monstros em termos de banho e investimento, tudo isso puxado, claro, pela China. Por lá, a maior parte dos investimentos neste hubs são públicos. Como já falamos, há diversas parcerias e intercâmbios entre a Europa e a Ásia, com grande destaque claro para os escritórios europeus presentes na China.

Além dos espaços compartilhados de coworking há ainda boa presença de verdadeiros laboratórios makers, com ênfase em desenvolvimento de tecnologia.

Outro traço marcante dos Hubs de Inovação asiáticos é o seu maciço investimento ainda em ideias embrionárias. Afinal, são tantos unicórnios vindo da China que é impossível ficar indiferente ao mindset inovador presente no ecossistema asiático.

Vamos conhecer alguns deles:

 

MAGIC – Malasyan Global Innovation and Creativity Centre

  • Localizado na Malásia.
  • Programas para todas as etapas de Startup.
  • Programa Grill & Chill.
  • Mais de 100 mil projetos já passaram pelo Hub.
  • A Malásia é 11º melhor destino no mundo para startups.

 

Trouble Maker

  • Localizado em Shenzhen, na China.
  • Lab para desenvolvimento de tecnologias. O centro está localizado em Huaqiangbei.
  • Desenvolvedores, Gurus e Produtores.

 

t-hub

  • Localizado em Haiderabade, Índia.
  • +1500 conexões
  • +75 programas exclusivos.
  • Também são uma plataforma de educação.
  • Programas de benefícios.

 

Startup Fukuoka City

  • Localizado em Fukuoka, Japão.
  • Focados nos benefícios do país e, especificamente, de Fukuoka.
  • Controlado pelo Estado.
  • Hub pensado em internacionalização e também voltado para empreendedores estrangeiros.

 

Cow&Dog

  • Localizado em Seoul, Coreia do Sul.
  • Focados em startups que apresentem Social Innovation.
  • Atuam mais como aceleradores.
  • Incubam plataformas de Future of Work em modo DAOs.

 

Hubs de Inovação América Latina

Hoje, é a cidade de São Paulo, no Brasil, que puxa o bonde dos investimentos hoje na América Latina. No entanto, o México tem concentrado grandes empresas de tecnologia e isso favorece o nascimento de hubs de inovação nesta região.

O movimento dos Nômades Digitais têm atraído bastante a atenção dos governos latinos, mas vamos focar nos hubs:

 

ImpactHub da Ciudad de Mexico

Imagem: Divulgação.

 

  • Localizada na Cidade do México, México.
  • Parceria com Meta/Facebook.
  • Guadalajara é um polo tecnológico de destaque no México.
  • México possui localização favorecida.
  • Apostam em empreendedores que não possuem ideia para startups, mas que queiram aprender.

 

HubBOG

  • Localizado em Bogotá, Colômbia.
  • 250 pessoas alocadas no coworking.
  • Possuem um chat online às sexta-feiras para empreendedores seriais.
  • Cursos focados para pitchs.
  • A cidade de Medélin caminha para o maior hub de IA da região.

 

enel

  • Foto
  • Localizada em Santiago, Chile.
  • Focado no setor de Energia.
  • +12.000 startups.
  • 485 startups ativas.
  • Atende PMEs.
  • Inclui labs em outros países do mundo.

 

Mesa Fintech CNV

  • Localizada em Buenos Aires, Argentina.
  • Apresentado pela Comisión Nacional de Valores (CNV).
  • Voltado para iniciativas dentro da Nova Economia.
  • Startups argentinas mais reconhecidas Mercado livre, Decolar.com.

 

O que permite tornar as cidades mais inovadoras

A KPMG, rede global de profissionais, apresentou uma pesquisa indicando quais são os fatores são mais importantes que permitem uma cidade se tornar um centro tecnológico e de inovação.

Fatores como infraestrutura tecnológica, acesso a profissionais das áreas jurídica e financeira e presença de universidades estão entre os fatores mais importantes para que uma cidade possa se tornar um centro de referência de tecnologia e inovação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conclusão sobre Hubs de Inovação

Os hubs de inovação propiciam um ambiente fértil para ideias inovadoras e conexões entre os mais diversos do ecossistema como governo, universidades e empresas que precisam de soluções para os seus negócios. Os Hubs de Inovação são a fagulha para a nossa sociedade do conhecimento.

Ana Wadovski

Web3, Metaverso, Inovação e Transformação Digital

Jornalista brasileira vivendo em Lisboa, especialista em Digital Business, com foco em Transformação Digital e Futurismo. Tecnologia, para mim, é palavra feminina. Quero estar dentro dos debates sobre o impacto da tecnologia na vida das pessoas e das empresas, contribuindo para desenhar um futuro melhor para todos.

Postagens relacionadas

Assine nossa Newsletter

Receba toda semana as notícias mais interessantes sobre Inovação, Transformação Digital e Futurismo, cuidadosamente selecionadas por nós.

Toda segunda-feira às 6h de la matina.